Archivos para Os mutantes

One intierview with Esmeria Bulgari and her wildlife.

Posted in Uncategorized with tags , , , , on mayo 8, 2016 by lavieenrosenfeld

12825133_1073777896019102_1898121607_n

1) Hello, how you feel being interviewed by a communication media of our country? Esmeria: I feel Happy.

 

2) How was your stay on our country? Any funny story? Esmeria: I loved the city, and I think the city received me well, Reciprocities please me.

 

3) how started your interest in the music world? Esmeria:Since I was a child, my grandfather was a musician he played Clarinet, Guitar, acordeon and by this way my mom had a lot of musician too, she came to sing on the radio when she was young, I started singing in Madrigal Revivis in my city Ribeirão Preto, a special City in São Paulo, after that I started to sing in bars, until I compose my first Full Length and after that my second with a band I ended up living in São Paulo.

 

 

4) Which were your influences? Esmeria: my influences came all from radio, I had the privilege of living in a city that aways played incredible songs on radio like Queen, Yes!, Led Zeppelin, but also I had the privilege to born on a country with rich music so I listened too

 

Caetano Veloso   

 

Gilberto Gil   

 

,Jorge Bem

Gal Costa

, Elis Regina

 

and a lot of good people that I love until today.

5) You have academic Studies or you are just autodidact? Esmeria: I’m absolutely autodidact.

 

6) What can you tell me about the group Dasdo? You keep contact with the members?

Esmeria: The Dasdo was a band that came on the necessity of a group, compose together of feel the world like the same person, I came from a solo career and being Sagittarian up from aquarius, that necessity was really strong on me. We don’t see each other so much, our lifes had took other routes, but our son was there, on the shy way because was pressed very few and a lot was lost on the way.On the disc I like the my partnership Daniel Silveira called ‘’Olhares de Censura’’ a song that talk about marginalized loves sounds a lot like 80s on the arrangements with piches of ninety.

13181075_1117529988310559_699748952_n

7) How you get to know Sergio and how you ended up working with?

Esmeria:I met Sergio Dias by my partner Daniel Silveira on Digital studio in São Paulo wich at the time was from Cesar Camargo Mariano. We talked and he invited us to go to Araras, RJ where he lived.so he ended up producing one of the songs of Dasdo called ‘’ok’’.

8) How came the affair of him joining the Mutantes? And was a trouble for him sometime be part o the band?

Esmeria: That was in 2001.in the end of 2005 the surprise came:Barbican Hall Theather wanted to reunite the Mutantes again.they succeeded but without Rita, and we were all the troop with all the love in the world.that can be seeing on our cd/dvd Mutantes Barbican onde solei Technicolor.

9) How has been your musical relation with Crispin del Cristia?

 

Esmeria: in 2008 I did the ‘’Show Boca de cena’’ with him, was a tribute for Cazuza,and also in 2009 the ‘’Show Coração Brasileiro’’ and in 2012 the progressive Mutantes came on, that was when I came back to the band in 2013, we make a tour in USA and Canada, we crossed the country coming from two sides of Canada, a lot of adventures and a lot of emotions, since then we travel around the world, on our last tour by Europe we stretched on Tel Aviv, truly Os Mutantes reach places  not imagine and imagine .

10) How happened your collaboration with the band Torus? Esmeria: Torus is the name of the second album of Divina Supernova, was through the network, I liked the proposal a lot,was an album with collaboration of people from Brazil and the world,a collectivity that enchanted me, I loved to be part of ‘’amar é’ that is the name of the song that I sing.

 

11) What is your vision about Brazil currently? Esmeria: Brazil is a rich country,we got a population of 200 million,a fauna and flora rich too, we are creative. I don’t know how many in exact contribute with taxes,but are a lot, this country was meant to have abundance in prosperity for all people.On this moment we have a party contrary to power doing everything to destabilize the government. But social networks say a lot of lies and truths, a lot of craziness, people believing in absurd and not believing in nothing.The truth is that the president was sabotaged on all forms by an opposition that does not support losing an election.i don’t say its perfect, it’s hard to make a better country when there are so many Vultures after carrion, corruption everywhere. I think this flash flood of complaints be the begin of a great cleaning, I have hope like the Sagittarian that I am.

 

12) Any place in the world that you didn’t visited yet and wished to? Esmeria: talking about amenities I have never go to India I liked to go and I will soon.

 

13) What can you say about yourself now, what you like , your hobbies, etc.?Esmeria: I love animals, i live on the hill of Cantareira and live beside of every animal possible that you can imagine.”Have ilustrious vists of tucanos,monkeys,jacus and the presence of spiders that are desirable for me or not.”Out my love. My childreb the chico that is a love of dog and two cats that are the loves of my life. I like to photograph. That was missed(my husband flies).I like shooting photos of hang gliding and gliders. I’m learning flute now. I like to be aways learning something new. This is the antidote for depression.

14) What are your plan for this year? Esmeria: A lot of plans for 2016 but not talking about till everything be ready. i’m full of secrets

15)Any message for the readers for the end of the interview? Esmeria:A big kiss for the chilean peopele we are very grateful for the way we were receivedI thank you all in the name of the Os Mutantes .

 

1531581_669858313077731_712926716_n

Uma entrevista de Esmeria Bulgari e sua vida selvagem .

Posted in Uncategorized with tags , , , , on mayo 8, 2016 by lavieenrosenfeld

 

12825133_1073777896019102_1898121607_n

 

1) Olá como vc se sente ao ser entrevistado por um meio de comunicação de nosso país ?

Esmeria :me sinto feliz

2)Como foi tua estadia em nosso país ? Alguma história engraçada ??

Esmeria : Adorei a cidade e acho que a cidade me recebeu muito bem!! Reciprocidades me aprazem!!!

3)Como começo a tu Interes no mundo da música? ?

Esmeria :O interesse desde a barriga da mae, meu avo era musico, tocava clarinete, violao, acordeon edessa forma minha mae era muito musical tambem, chegou a cantar no radio quando jovem. Comecei cantando num madrigal de nome Revivis em minha terra Ribeirao Preto, uma cidade especial no estado de sao paulo, depois vieram os bailes, os bares, ate que compus meu primeiro disco em pequena tiragem e o meu segundo ja com banda…acabei vindo pra SaoPaulo

4) Quais foram tuas influências musicais?

Esmeria :Minhas influencias vieram todas do radio, tive o privilégio de morar em uma cidade que tocava coisas incriveis no radio como Queem, Yes, Pink Floyd e Led Zepelin, mas tambem tive o privilégio de nascer num país com uma música muito rica, entao ouvia tamnem

 

Caetano Veloso

 

Gilberto Gil

, Jorge Bem

 

, Gal Costa

, ElisRegina

e um monte de gente legal que amo ate hoje

5)Vc tem estudos acadêmicos o so e autodidata ??

Esmeria :Sou absolutamente auto didata

6)o que pode contar sobre o grupo Dasdo?ainda mantem contato com os membros?

Esmeria : A Dasdô é uma banda que surgiu pela necessidade de grupo, de criar junto, de sentir o mundo parecido…eu vinha de um disco solo e como sagitariana com ascendente em aquario, essa necessidade era e ainda é parte muito forte de mim. Nao nos vemos muito, nossas vidas tomaram outros rumos..mas o filho ficou, de maneira tímida porque foram prensados muito poucos discos e muitos se perderam no caminho… Do disco gosto muito de uma parceria minha com Daniel Silveira que se chama “Olhares de Censura” que fala sonre os amores marginalizados, tem uma levada bastante anos oitenta nos arranjos com pitadas de noventa…

13181075_1117529988310559_699748952_n

7)Como foi que chegou a conhecer Sergio e como chegaram a trabalhar juntos? 0

Esmeria :Conheci Sergio Dias junto com esse meu parceiro Daniel Silveira no Digital Estúdio em Sao Paulo, estúdio que na epoca era de Cesar Camargo Mariano…conversamos e ele nos convidou pra ir ate Araras, RJ onde ele morava entao…ele acabou produzindo uma das musicas do Dasdô chamada Ok .

 

8)Como chegou ao assunto dele se tornar dos Mutantes? e o chegou a incomodar ser parte dos Mutantes alguma vez em sua vida? 0

Esmeria :Isso foiem 2001…no final de 2005 a surpresa: O Barbican hall theather estava fazendo de tudo pra unir os Mutantes novamente, conseguiram mas sem a Rita…veio Zelia com a permissao de Rita e fomos toda trupe com todo amor do mundo, que pode ser conferido no cd dvd Mutantes Barbican, onde solei Technicollor .

9)Como vem sendo sua relação musical com Crispin Del Cristia?

Esmeria :

Em 2008 fiz com Crispin Del Cistia o show Boca de Cena, uma homenagem a Cazuza Em 2009 o Show Coracao Brasileiro Em 2012 Os Mutantes progressivos entraram em acao, foi quando voltei pra banda Em 2013 fizemos duas tour por usa e canada…cortamos o pais de fora a fora entrando pelos dois lados do canada…muitas aventuras, muitas emocoes…desde entao viajando pelo mundo, a ultima tour da europa demos uma esticada em Tel Aviv…realmente os Mutantes alcancam lugares nunca antes imaginados rs
 
 

10)Como aconteceu sua colaboração com a banda Torus?

Esmeria :Torus é o nome do segundo disco do Divina Supernova…foi atraves da rede, vi, gostei muito da proposta, era um disco com colaboracao de pessoas do Brasil e do mundo, uma coletividade que me encantou. Adorei participar de “Amar é” que eh o nomeda faixa que cantei

 

 

11)Qual sua visão do Brasil atualmente?

Esmeria :

O Brasil eh um paīs riquīssimo..temos 200 milhões de habitantes…uma fauna e flora riquissimas
 
Somos criativos
 
Não sei exato quantos contribuem com impostos. ..mas são muitos…era pra esse país ter abundância e prosperidade p toda população
 
Nesse momento temos um partido contrário ao poder fazendo tudo p desestabilizar o governo…mas redes sociais de dizem muitas mentiras e verdades…muita loucura…pessoa e acreditando em absurdos e não acreditando em nada
 
A verdade ė que a presidenta foi sabotafa de todas as formas por uma oposição q não suporta perder uma eleição
 
Não digo q eh perfeita
 
Fica difícil fazer desse pais um paīs melhor com tanto urubu correndo atrás da carniça. ..corrupção em todas as areas
 
Penso que essa enxurrada de denúncias seja o começo de uma grande limpeza
 
Tenho esperança como sagitariano que sou
 
Sagitariana*
 
*pessoas acreditando em absurdos e outras não acreditando em mais nada*
11693856_950184728378420_8566469971516641700_n

12)Algum lugar do mundo que você ainda não foi e gostaria de ir?

Esmeria : Falando agora de amenidades ainda n fui a īndia…gostaria muito e irei em breve com certeza .

13)O qur pode nos dizer de você agora,seus gostos, hobbies, etc.?

Esmeria :

Adoro bichos, moro na Serra da Cantareira e convivo com todos os bichos possīveis e imaginários.
 Tenho visitas ilustres de tucanos, Macacos, JACUS , Além de aranhas desejáveis e indesejáveis tambem .
Fora meu amores, meus filhos. ..o Chico que eh uma delícia de cãozinho . E duas gatas todos amores da minha vida .
 
Gosto de fotografar era falta (meu marido vøa) *** gosto de fotografar asa delta e gliders .
 
Estou aprendendo a flauta transversal agora . Sempre aprendendo algo novo . Antídoto pra depressão

14) Quais seus planos para esse ano?

Esmeria : muitos planos pra 2016 mas não falo antes de tudo fechado. ..sou cheia de segredinhos.

15)Alguma mensagem para os leitores para darmos fim á entrevista?

Esmeria :

Um grande beijo pro pessoal do Chile…sou muito grata pela maneira que fomos recebidos e acolhidos
 
Gratīssima e agradeço em nome dos Mutantes tambėm .
1531581_669858313077731_712926716_n
 

Una entrevista tomando el Te junto a Esmeria Bulgari ( Os mutantes ) .

Posted in Uncategorized with tags , , , , , , , , , , , , on mayo 8, 2016 by lavieenrosenfeld

12825133_1073777896019102_1898121607_n

1) Saludos como sientes de ser entrevistada desde un medio de nuestro país ?

Esmeria : Me siento feliz.

2) Cómo fue tu estadía en nuestro país ? alguna divertida historia ?

Esmeria : Me encantó la ciudad. Creo que me recibieron muy bien. Me gusta cuando algo es recíproco .

3) Cómo comenzó tu motivación en el mundo de la música ?

Esmeria : El interés del vientre de la madre, mi abuelo era músico, tocaba el clarinete ,guitarra, acordeón, y así mi madre era muy musical también, llegó a cantar en la radio cuando era joven. Empecé a cantar en un lugar llamado Revivis Madrigal, en mi tierra – Ribeirao Preto, una ciudad especial en el estado de São Paulo, luego vinieron los bailes, bares, hasta que escribí mi primer disco en el corto plazo y mi segunda ya con la banda y entonces vine a São Paulo .

4) Cuáles fueron tus influencias musicales ?

Esmeria :  Mi influencias vinieron todas del radio, tuve el privilegio de vivir en una ciudad que tocaba cosas increíbles en el radio, como Queen, Yes, pink Floyd y Led Zepellin, pero también tuve el priviegio de nacer en un país con una música muy rica; entonces, oía Gilberto Gil

, Jorge Bem

, Gal Costa 

 

y un montón de buenas personas que amo hasta hoy.

5) Usted tomo estudios académicos o fue autodidacta ?

Esmeria : soy absolutamente auto didacta .

 

6) Qué podría contarnos acerca del Grupo Dasdo ? siguen en contacto los miembros ?

Esmeria : Es una banda que surgió por la necesidad de crear ve el mundo parecido yo venia de un disco solo y como sagitariana con ascendencia en acuario esa necesidad  todavía es muy fuerte , no nos vemos mucho nuestras vidas tomaron otros rumbos. Nuestras vidas tomaron otros rumbos, pero el hijo se quedó de una manera tímida, porque fueron vendidos pocos discos y muchos se perdieron en el camino. Del disco me gusta un dueto  que hice con Daniel Silveira, que se llama Miradas de Censura, la cual habla sobre amores marginalizados, tiene un estilo años ochenta con arreglos de los años 90.

13181075_1117529988310559_699748952_n

7) Cómo fue que llego a conocer a Sergio y como llegaron a trabajar juntos ?

Esmeria : Yo conocí a Sergio Dias junto con mi pareja Daniel Silvera al visitar Digital estudio que en una época era de Cesar Camargo . conversamos y el nos invito .

8) Cómo se tomo el asunto de ser miembro de Os mutantes?Se lo llego a pesar el ser parte de Os mutantes alguna vez en su vida ?

Esmeria : Sucedió en el  2001 y afines  de 2005, la gran sorpresa vino : Hall Teatro Barbican estaba tratando de unir a Mutantes de nuevo ,lo consiguieron, pero sin Rita Lee, y con el permiso de Rita, Zelia   y  yo nos unimos a toda la compañía con todo el amor del mundo , todo el mundo puede verlo en  el cd / dvd de Mutantes  en Barbican . Cuando cante Technicolor .

9) Cómo ha sido tu relación musical con Crispin Del Cistia ?

Esmeria :En 2008 hice con Crispín Del Cistia el espectáculo “Boca de Cena”, un tributo a Cazuza.
En 2009 sigue con Crispín Del Cistia el espectáculo “Coracao Brasileiro”
En definitiva de 2012 me volví a Mutantes realizar el espectáculo “Tudo foi feito pelo sol
En 2013 se realizó un recorrido de 2 giras en EE.UU. y Canadá .desde entonces la vida es una gran aventura … la última gira Europa saltamos hasta Tel Aviv … Mutantes llega realmente a exóticos lugares en todo el mundo y amo esto .

10) Cómo se concreto tu colaboración con la banda Torus ?

Esmeria : Torus es el segundo nombre del disco de Divina
Supernueva …. fue a través de la red, lo vi , me gusto mucho la propuesta , era un disco con la colaboración de personas de Brasil y del mundo, una colectividad que me encanto , Adore participar de “Amar es” que es el nombre del tema que cante .

11) Cuál es tu visión acerca de Brasil actualmente ?

Esmeria :

Brasil es un país riquísimo (rico)… tenemos 200 millones de habitantes… una fauna y flora riquisima, somos creativos.

No sé exactamente cuantos contribuyen con impuestos,pero son muchos para este país tener abundancia y prosperidad para toda la población .

En este momento tenemos un partido contrario al poder de hacer de todo para desestabilizar el gobierno, pero las red sociales dicen muchas mentiras y verdad ,mucha locura.Personas creen en los absurdos y no creen para nada en la verdad y que la presidenta fue saboteada de todas las maneras , por una opción que no soporta perder una elección . No digo que es perfecta .

Es difícil hacer de este país un país mejor , con tanto buitre corriendo detrás de los restos ….corrupción esta en todas las áreas.
Pienso que esos pingos de denuncias seria como empezó una gran limpieza .
Tengo esperanza como sagitariano .
Personas creyendo en absurdos y otros no creen en nada .

12) Algún lugar del mundo al que no has podido presentarte y te encantaría ir ?

Esmeria : Todavía no he ido a la India… me gustaría mucho y luego viajare con certeza .

13) Qué podrías contarnos de ti ahora , tus gustos musicales , hobbies , etc . Lo que quieras expresarnos de ti ?

Esmeria :

“Me encantan los animales, yo vivo en la colina de la Cantareira y vivo al lado de cada animal posible que se pueda imaginar.”
Tener encuentros con tucanes, monos, Jacus y la presencia de arañas que son deseables para mí o no “.

Fuera de mi amor. Mi children el chico que es un amor de perro y dos gatos que son los amores de mi vida.

Me gusta fotografiar. Que se perdió (mi marido vuela)

14) Cuáles son los planes actualmente para este 2016 ?

Esmeria : Un montón de planes para este 2016 pero no voy a hablar de esto hasta que yo este lista . Yo estoy llena de secretos .

15 ) Algún mensaje para tus lectores para dar fin a esta entrevista ?

Esmeria : Un gran beso para todas las personas chilenas , nosotros estamos muy agradecidos por la forma en que nos recibieron . Muchísimas gracias en el nombre de Os mutantes .

 

1531581_669858313077731_712926716_n

 

Entrevista com Os Mutantes

Posted in Uncategorized with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on abril 23, 2015 by lavieenrosenfeld

1382982_10152469703353029_1595866583_n

 

 

1)Nós estamos muito honrados em ter você Sergio, como nosso convidado da semana. Como você se sente em ser entrevistado por um país da América do Sul também, como o Chile?

Sergio : Olá, meus amigos do Chile. É un plazer poder falar com vocês. Penso que é a primeira vez que tenho a oportunidade de falar con seu país, que é encantador e sempre desperta vontade de ver e conhecer

 

 

2)Quando você tornou-se músico?

Sergio :

Você é músico desde que ano? Sente que conseguiu tudo que queria nesse meio? Sou músico desde os 12 anos de idade. Sinto que nunca se consegue tudo que se quer na vida. Mas se olho para meu passado, todos os meus mais de 50 anos de música, posso dizer que sou muito sortudo por muitas coisas maravilhosas terem ocorrido em minha vida, especialmente com o público, já que são pessoas mais que especiais para mim. Sem eles, não haveria sentido fazer música. Nós, os músicos, temos que ser como um espelho de uma forma que o pýblico e o artista sejam um só no momento, como resposta e pergunta imediata. Não sei quando minha carreira terminará, mas seguramente será na cena rock.

10616645_10153173752983029_3000660350996876964_n

3)Que vocês poderiam nos contar sobre a origem do nome da banda? Por que se chama Os Mutantes? É verdade que o viado do Ronnie Von foi o primeiro a sugeri-lo?

 

Sergio : A origem do nome vem de uma novela de ficção científica do autor Stefan Wull, chamada O Império dos Murantes, a qual nos encantou, e de lá se originou o Ronnie Von, que é um mito .

4) O som dos seus projetos musicais anteriores a Os Mutantes era diferente da pica que está em prática agora? Em que buceta de gênero Os Mutantes se encaixam musicalmente?

Sergio :  Sergio: É difícil colocar em um gênero musical que englobasse tudo dos Mutantes, quando eu era pequeno escutava Sarita Montiel   , The Ventures, todos cantores brasileiros, Samba, Bossa Nova, Jazz, Wes Montgomery  , Jimmy Smits, também toda influência clássica que veio da minha família porque minha mãe foi era pianista, compositora de piano. Então eu acho que a melhor descrição é o Tropicalismo porque mostra uma situação que nos manteve na America do Sul e eu nunca entendi que nós não eramos integrados, é algo que eu amo e seria muito bom, porque nosso idioma é algo que nós conseguimos entender uns aos outros. Eu nunca estudei espanhol, eu estou aqui tentando, é a tentativa na melhor das situações para ter uma comunidade forte. Eu amo a ideia desse grande país da América do Sul, eu sinto que o Brasil é um grande guia dentro deste continente dividido pelo idioma, nós temos tantas influências em comum que Espanha e Portugal são vizinhos seria muito bom ver uma maior colaboração entre nós.

 

5) Ao longo de sua carreira, você e Os Mutantes desenvolveram um estilo de roupas bastante provocante e cheias de imaginação… O que elas queriam transmitir com o uso destes trajes ou qual a relevância no mundo dos Os Mutantes? Estava relacionada com a cena Glam Rock (T.rex, David Bowie)?

Sergio : Nós geralmente vestíamos como se fossemos representações de tudo o que fazia sentir como a juventude de ser imortal porque quando você é jovem você não pensa sobre a possibilidade de morte, apenas a possibilidade da aventura, nós frequentávamos cinemas e dissemos “nós queremos ser como eles” e então nos vestimos. Nós não tínhamos nenhuma relação com a cena Glam Rock; nós eramos completamente autênticos, nossa ideia era nossa vida, a ideia de como nos sentíamos.

 

10410153_10153262468578029_2426503916580712175_n

6) Uma vez que você viveu suas primeiras turnês no exterior que marcaram um antes e depois, há alguma afeição pra você como banda? Isso foi o que marcou o fim de seu treinamento clássico ?

Sergio : As primeiras turnês no exterior foram muito boas, porque éramos sempre bem recebidos pela imprensa que nos chamavam de “Os Beatles brasileiros”. Tivemos o prazer de conhecer o tecladista Vangelis AFRODITE FIFTY   DIMENSION CHILDS e no mesmo dia tocamos. Isso influenciou muito no jeito de tocar do meu irmão Arnaldo, e o que ele viu com as clarinetas, e todas essa coisas, etc. A causa do rompimento clássico foi por causa da década de 70 o LSD, ácido entre outros, não haviam manuais ou informações dessa situação profunda. Eu pensei que era muito perigoso porque eles não sabiam a origem dessa magia…força; tirando isso, nós éramos todos um, com exceção que nós estávamos todos parte do universo que nos deu uma profunda introspecção dentro do ser, nos tornamos muito sérios. A separação foi uma situação entre Arnaldo e a Rita que foram casados e não conseguiram resolver a questão do amor livre, traição que aconteceu.

7) Nos anos 70, seu estilo musical sofreu uma grande mudança de rumo, mas sem perder sua marca registrada, que fez mudar ou evoluir suas psicodelias para algo um pouco mais “pesado”… Acha que Os Mutantes tem evoluido desde a sua criação até os dias atuais?

Sergio :  Certamente evolução é a necessidade de qualquer artista. sem ela, não há sentindo em tocar seus instrumentos. Eu acho que se tivéssemos uma grande evolução especialmente no inicio dos anos 70, as pessoas diziam que éramos progressivos, eu discordo disso porque progressivo que a mídia costumava dizer era depreciativo/ negativo o que que não identificava como parte de nós como foram Yes or Rick Wakeman, coisas desse tipo que éramos mais parecidos King Crimson e Gentle Giant, também o rock sempre a parte mais importante para nós .

 

Até agora, os últimos dois álbuns que foram lançados em 2009: Haih or Amortecedor e em 2013: Engane metal Jack tiveram uma boa recepção por parte da imprensa mundial , estamos com 4 ou 5 estrelas , eu acho que os discos foram feitos de uma forma normal, como eu faria aos 17 anos de idade, você apenas faz música e assim normalmente sem preconceito como deveria ser , montado no século XXI .

 

8) O que a constante mudança de membros resultou nos anos 70? Por que anunciou o fim em 1978? 

Sergio  : Sergio: Eu não parei a banda, mas fui reprovado assim como Rei Arthur recolocasse a espada na pedra, porque a última geração dos mutantes não entenderam o que eu queria.

9) Sergio, o que você pode nos contar sobre sua experiência na carreira solo? Foi planejada antes da pausa dos Os Mutantes ou depois, a ideia de ter um projeto solo?

Sergio :   Sergio: eu fiz meu caminho para minha carreira solo, eu vim para os Estados Unidos, aí eu conheci L.SHANKAR do SHAKTI e JOHN McLaughlin, foram alguns dos nomes de muitas pessoas que vieram na minha mente das quais eu comecei a tocar dentro dos Estados Unidos. Eu fiquei aqui na década de 80, foi uma fantástico, uma experiência muito boa. Porque antes de tocar com 3 ou 4 pessoas, depois dezenas estavam tocando e isso foi muito bom para mim e para meu entendimento da profundidade musical e o quão longe eu poderia ir. Foi uma honra ser aceito no créme de la créme de Nova York.

10) O seu projeto solo é excepcional do nosso ponto de vista, mas nós sentimos a força perdida em seus últimos trabalhos , após o primeiro álbum, mas também a força adquirida no seu ecletismo e variedade musical, o que poderia nos dizer a partir de seus trabalhos solo ?

Sergio :Estou muito orgulhoso de todo o trabalho que fiz com o Phil Manzanera e os amigos da África do Sul, meus álbuns solos são algo pelo qual tenho muito carinho, muitas horas tocando depois de 9 anos, desde 2006, eu quis oferecer algo sozinho novamente sozinho .

 

11) É verdade que você passou quase uma década em Nova York? E o que pode nos dizer sobre sua viagem para a Itália?

 Sergio: Na verdade, foi muito bonito bom.Nós viajamos para Itália no período de atividades dos OS Mutantes em 1977 antes de irmos para Nova York para fazer um concerto para o “Festival of the Unit”, nós estivemos em Milão 6 meses, Eu conheci Patrick Djivas  entre outros prêmios, também todo movimento musical que tinha em Milão, um álbum estava em processo mas infelizmente ele não foi terminado. Eu fiquei em Nova Iorque durante 10 anos, foi maravilhoso como músico mas como uma pessoa muito solitária.

12) Em 1994 você se tornou um dos primeiros músicos brasileiros a tocar na África do Sul. Que memórias têm e pode nos expressar sobre isso? Nós sabemos que você participou de um programa de Natal.

Sergio :Ainda que a África do Sul tenha sido algo que eu nuca esperei acontecer… Eu conheci Dan Chiorboli no Rio de Janeiro. O Brasil que fez todos os arranjos para eu viajar, e foi uma experiência inexplicável. Foram dois meses de maravilhas; charme; belezas; e pessoas maravilhosas, música todo dia, toda hora. Tinham dias que eu dizia “eu vou vaguear disse tocando e jogando o tempo todo. A África do Sul é um belo país, charmoso . Eu escrevi de 10 a 15 canções, o resultado disso é meu álbum “Song of the Leopard  .

13) O que te motivou a mudar-se de seu país de origem, no final dos anos 70 ?

Sergio : Foram as coisas da vida. Pare com a banda e me separei da esposa. C. omecei a tocar com el Shancar , eddy  Offord. Convidei-te para produzir um álbum só meu. Foi como uma gota de água. Minha vida mudou em um ano.

14) Em que ano você voltou para o Brasil ?? Em segundo lugar, porque tanto tempo em silêncio em sua carreira solo?

Sergio : o: Eu voltei para o Brasil por pouco na primeira vez. Em 1985. Eu estive naquela época 5 anos fora. Eu comecei de novo, porque eu tinha amigos e familiares. Em 1987 eu retornei e nesse tempo conheci minha atual esposa, com quem estou junto há 25 anos. Em um momento nós pensamos em nos mudar mas ela tinha uma filha pequena e seria difícil pensar em mudar-se assim, então eu fiquei no Brasil por amor. O silêncio da minha carreira solo foi devido ao tempo que você gasta tocando com outros músicos na America, então eu acho que em 1979 ou 1980 eu lancei o primeiro álbum solo no Brasil, Caetano Veloso, Gal Costa, entre outros grandes amigos. Mas depois que estávamos tocando juntos, não havia nenhuma diversidade lá para tocar algo novo. Então eu acho que segui minha mente “Over Matter” é um álbum pop e esse é o resultado da minha estadia nos Estados Unidos. Após isso, tem o “Jazz mania Live” que foi quando eu toquei no Brasil em 1977, eu gravei isso, eu era completamente diferente, foi Free Jazz, é um álbum que eu realmente gosto. Foram feitas 2000 cópias, é um álbum raro, mas música eu amo.

15)O que você pode nos dizer sobre o álbum mais recente de Os Mutantes, em 2014?

Sergio : Ela foi feita em Inglês, e eu fiz a partir do que vi. A questão é política e tende para o lado americano. Tivemos problemas porque as pessoas estavam um pouco de feltro em algumas partes da letra. Fool metal jack é a história de um menino que vai para a guerra e está prestes a morrer. Não é a história de um menino de 18 anos. Imagine entrar em um exército cedo, o que é uma vida solitária. Não faz sentido para ele.

 

16)O que podemos saber sobre você, Sergio, a alma de uma das maiores bandas do Brasil. Sua altura, seus hobbies, suas influências musicais?

Sergio : Meço 1,79 cm. Meus passatempos são: tiro ao alvo, pintar, ouvir música. Minhas influências musicais vão dos Mariachis a tudo que acho legal. Vou ao supermercado ao lado de onde vivo, o qual se chama Gardenias. Encanta-me a música mexicana que tocam. A última coisa que me agradou foi a França. Paris foi um organista de nome Jean Guilou, que, com seu órgão, improvisava na parte de fora da igreja Saint-Eustache.

Jean_Guillou_7908

17)Quem são os atuais membros de Os Mutantes? Você acha que Os Mutantes tem evoluído desde a sua origem?

 

Sergio :

10513485_10153002641633029_8769436708998616088_n

Sergio: Esméria Bulgaria – vocal

Sérgio Dias – guitarra, vocal

 

Vinicius Junqueira – baixo

 

Henrique Peters – teclado vocal

 

Cláudio Tchernev – bateria

Mutant evoluiu desde dua origem, eu acho que em meu interior tenho uma maturidade musical para traduzir os sentimentos do ser humano em música, se você faz algo realmente não faz sentido .

 

18)Você mencionou que você tem uma relação muito especial com o Chile. O que você pode nos dizer sobre isso? Falando sobre relações especiais…Como são as relações com Rita Lee?

Sergio :

A coisa que eu mais gostei de Chile, embora eu nunca estive lá, eram amigos chilenos que conheci na minha vida, o O baterista do meu primeiro disco solo.. chileno José Ignacio Fernández Mena uma pessoa muito bonita. Agora eu me lembro quando eu fui para a Europa viu-se a beleza das montanhas, tem uma beleza irresistível, seria realizar um sonho de jogar em seu país.

Rita relações são inexistentes, é uma vergonha, eu prefiro coNtar quando mutantes retornou em 2006, e eu a convidei para ficar conosco… mas ela permaneceu provavelmente muito ofendido e se recusou a continuar. Eu não posso explicar isso para mim ainda.

1546240_10153137205089362_4281861911385769648_n

19)Alguma mensagem para nossos leitores para finalizar nossa entrevista?

Sergio: Eu dou todo meu amor para o povo chileno, porque como todas pessoas da America do Sul, que passaram por todas as revoluções e perderam toda sua identidade nacional por terríveis manejos políticos, agora, meu país e sua situação de corrupção, espero que um dia todos nós nos tornemos irmãos novamente, e dispostos a vivermos felizes juntos, a todos vocês um grande abraço. Sérgio Dias by Os Mutantes.

10447849_10153295503543029_3538869860291632832_n

Interview with Os mutantes

Posted in Uncategorized with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on abril 23, 2015 by lavieenrosenfeld

1382982_10152469703353029_1595866583_n

 

 

 

1) We’re very please to have you Sergio as our guest of the week. How does it feel to be interviewed from a country as south as Chile?

Sergio: Hello to all my friends in Chile, i’m very happy to talk with you, i guess is the first time i got the chance to speak with someone from your country. Yours is a lovely country and it has so much passion to see.- Please forgive my spanish, it sounds more like a portuguese-spanish. (Note: This interview was recorded in audio so the crew from Rushed Blue put a lot of heart transcribing the audio to give you this lovely moment).

 

2)Since when have you been a musician?

 

Sergio: I’ve been a musician since i was 12 years-old, i believe you never really achieve every goal in your life; but if i look back to my 50 years as a musician, i can say that i’m very lucky of all the things i did and everything that happened to me, specially with the crowd, which are very special to me, without them this wouldn’t have meant a thing to me and i wouldn’t feet like keep doing music at all. We, musicians, have to be like a mirror between the audience and the artist, we have to be one at the moment, like a inmediate question and answer.- I’m not sure when my carreer will end, but im pretty sure it’ll be on stage.

10616645_10153173752983029_3000660350996876964_n

3) What could tell us about the origin of your name, and why are called Os mutants, How true is the story of Ronnie Von was the first to suggest?

Sergio: The name comes from a science fiction novel of STEFAN Wull called the rule of mutants which we loved and is there the origin, Ronnie Von is a myth.

4)  What  type of genre from your point of view you could put Os mutants musically?

Sergio: It is difficult to put on a musical genre that encompassed everything Mutantes, when I was little heard from Sarita Montiel  , The ventures all Brazilian singers, Samba, Bossa Nova, Jazz, Wes Montgomery   , Jimmy Smits, also all classical influence he had on my family because my mother was a concert pianist, composer of piano.

So I think the best description is Tropicalismo because it shows a situation that hold us in South America and I never understood that we are not integrated, it is something I love and it would be very nice, because our language is something we can understand with each other’s
I never studied Spanish, I’m here trying, is tentative at best
Situation to get a stronger community, I love the idea of this great country of South America, I feel that Brazil is a huge guide within this continent broken by language, we have so many common influences that Spain and Portugal are neighbors, it would be very nice see more collaboration between us.

5)Throughout your career both you and Os mutants developed a style quite provocative costumes and lots of imagination. What they wanted to convey to the use of these garments or what its relevance in the world of mutants Os? was related with the scene Glam rock (T.rex, David Bowie)?

Sergio: We usually dressed us like we were as a representation of everything that felt like youth to be immortal because when you’re young you do not think about the possibility of death, only the possibility of adventure, we attended cinemas and said we wanted to be like them and so we dress.

We had no relationship with Glam rock scene; we were completely authentic, our idea was our life the idea of how we felt.

 

10410153_10153262468578029_2426503916580712175_n

6) Once your got your first tours abroad that marked a before and after, affection something to you as a band? That was what marked the breakup of his classical line up  ?

Sergio: Well the first tours abroad were very nice, because we were always well received by the press were called the Beatles Brazilians had the pleasure of meeting keyboardist Vangelis AFRODITE FIFTY  DIMENSION CHILDS and the same day we play. This influenced much in the way of playing my brother Arnaldo keyboards and what he saw with the clarinets, all those things, etc.
The cause of the classic breakup was because of the 70’s the LSD, acid among others, were no manuals or information were deep in this situation, I thought it was very dangerous because they do not know the source of this magic … force; except that we were all one, except that we were all part of the universe that gave us a deep insight into being, we become too serious.
The break was a situation between Arnaldo and Rita were married because they failed to settle the question of free love, betrayal that happened.

7) Nearly  the 70s his musical style was a big change in your address but without losing its hallmark, which made change or evolve their psychedelia to a little harsh sounds, think Os mutants has evolved since its inception to the present day?

Sergio: Certainly evolution is the need for any artist, without it there is no sense in playing instruments. I think we if we had a great evolution especially going into the 70’s, people said that we were as progressive I disagree with this because progressive than the media usually says was derogatory / negative that did not identify as part of us were like Yes   or Rick Wakeman , things like that we were more like Gentle Giant or King Crimson  , also the rock always the most important part for us.

So far the last 2 albums which were released2009: Haih Or Amortecedor  y 2013: Fool Metal Jack  had good reception by the world press, we are with 4 or 5 stars, I think the discs were made in a normal way like I would at age 17 you just do music and so normally without preconception as it should be, mounted in the XXI century.

 

8) why constant member changes resulted in the 70’s??? Why announced an end in 1978?

Sergio: I did not stop the band but rather flunked for as long as King arthur replenishes the sword in the stone, because the last generation of mutants did not understand what I wanted.

9) Sergio what you could tell us about your experience as a solist, was planned before the break of Os mutants or after breaking the idea of having a solo project?

Sergio: I made my way to my solo career, I came to the United States there I met L. SHANKAR  , were some of the names of the many people that I come aa mind with which I started playing much within from United States. I stayed here in the 80’s was a fantastic very good experience, because before playing with 3 or 4 people, after dozens were playing and it was very good for me for my understanding of musical depth and as far as I could go. It was an honor to be accepted into the creme de la creme of the music of New York.

10) Your solo project is exceptional from our point of view but we feel lost strength in his later works after the first album, but also gained strength in its eclecticism and musical variety, you could tell from his solo works?

Sergio :I am very proud of all the work I did work with Phil Manzanera and South African friends, my solo albums are something that have much affection for them, lots of hours playing after 9 years back since 2006, wanted to offer something again alone.

11)Its True, that spent in New York nearly a decade?? And you could tell us about your trip to Italy?

Sergio: Indeed, it was very cute and well, it was something.
We traveled to Italy in the period of activity as mutants in 1977 before going to New York to give a concert for the Festival of the unit, we were in Milano 6 months, I met Patrick Djivas  among other awards, also with the whole movement musical that was in MILANO, was undergoing an album that unfortunately does not end.
I stayed in New York 10 years was wonderful as a musician but as a very lonely person.

 

12) In 1994 you became one of the first Brazilian musicians playing in South Africa that things in his memoirs remembers and can express ourselves in that? We understand that participated in a Christmas program.

Sergio: If that South Africa was something I never expected to happen, I met Dan Chiorboli in Rio de Janeiro, Brazil that made all the arrangements for me to travel there, and it was an inexplicable experience. They were two months of wonders; charm, beauty and wonderful people, music all day all the time, had days that said I’ll wander said touching and playing all the time, South Africa is a beautiful country charm while I wrote the songs 10-15 it resulting from this is my album

Song of the Leopard.

 

13)What motivated him to move outside your country of origin in those late 70’s?

Sergio: Were the things in life, I stop Os mutants, I separated from my wife, I started to play with L Shankar, and met producer Eddy Offord Yes, I invite you to produce an album of solo mio. This was a drop of water was like that in a year my life changed substantially.

 

14) In what year did you  returned to restore in Brazil?? Secondly why it’s been so quiet time of his solo career ?

Sergio: I went back to Brazil by little the first time in 1985 I was at that time 5 years out, I started again because I had friends and family .In 1987 I returned and in that time met my current wife with whom we have been together since over 25 years at a time we thought we moved but she had a daughter of years and it was hard to think of a move like that, so I stayed in Brazil for love.

The silence of my solo career was due to the time you spend playing with other musicians in America, so I think in 1979 or 1980 I launched the first solo album in Brazil, Caetano Veloso, Gal Costa, among others great friends. But after that we were all playing together had no diversity there to play something new. Then I think that followed Mind Over Matter is a pop album and is the result of my stay in the United States. After this was the Jazzmania Live that was when playing in Brazil in 1997 I recorded this I was completely different, it was Free jazz is an album that I really like, they were made 2000 copies, is a rare album, but music I love it.

15)What can you tell us about Os Mutantes most recent album in 2014?

Sergio: It was made in English and I did from which I saw here, the issue is a political one for the American side, we had to launch trouble because people were a little felt in some parts of the lyrics. Fool metal jack is the story of a boy who goes to war and is about to die. It is not the story of a boy of 18 years here imagine entering an army, what a lonely life at one point losing life has no meaning for him.

 

16) what can we know about you Sergio, the soul of one of our most importants bands of Brazil, What is your height , your hobbies, your musical influences?

Sergio : Sergio: My height is 5. 10 feets; my hobbies are archery, I love painting, my musical influences are from mariachis to everything that I find good. I go to the supermarket next to where I live called Gardenias love their Mexican music playing .The last thing I loved was in France, Paris was an organist named JEAN Guilou with his improvised pipe organ outside churches outside church of Saint-Eustache was fantastic.

 

Jean_Guillou_7908

17)Who are the actual members of Os mutantes? do you think that Os mutantes have evolved since its origins?

 

10513485_10153002641633029_8769436708998616088_n

Sergio :Esméria Bulgaria – vocals
Sérgio Dias – guitars, vocals
Vinicius Junqueira – bass
Henrique Peters – keyboards, vocals
Cláudio Tchernev – drums
Mutant has evolved from its origins, I think I’m in a musical maturity interior to the feelings as a human being that I translate into music, if you do something really does not make sense

18) You Mentioned that you have a very special relation with Chile, what can you tell us about that? Mention about special relations…how are the relations with Rita Lee?

Sergio :The thing I liked most of Chile although I’ve never been there, were Chilean friends I met in my life, my drummer first solo album was called Chilean José Ignacio Fernández Mena a very beautiful person. Now I remember when I went to Europe viewed down the beauty of the mountains, has a compelling beauty, would realize a dream to play in his country.
Rita relations are nonexistent, it’s a shame, I’d rather cut off when mutants returned 2006 I invite us, but she remained probably very offended and refused to continue. I cannot explain it to me yet.

1546240_10153137205089362_4281861911385769648_n

19) Any message for our readers to end our interview?

Sergio: I give all my love for people from Chile, because as all the people from south america, we have passed through all the revolutions, and loosing their national identity for the horrible political managements, now, with my country and their corruption situation, I hope one day that all we became bothers again, and be able to live happy together , to all of you a big hug .  Sergio dias by Os mutantes .

 

10447849_10153295503543029_3538869860291632832_n